OOO outubro | 2017 | Cedasb

Família de agricultores assistida pelo BAHIATER/CEDASB da comunidade Olho D’água da Serra, se destaca na produção de Açafrão-da-terra

Na comunidade Olho D’água da   Serra,   no   município   de   Vitória   da Conquista, a agricultora  Maria   Nalva  vem se destacando na produção de Açafrão-da-terra. Seguindo a tradição do trabalho na agricultura familiar, Dona Maria Nalva Prates Cantil, juntamente com os filhos João Vitor e Joalicio, já há algum tempo vêm garantindo uma renda extra para família a partir da produção e comercialização dessa especiaria.

O açafrão-da-terra, conhecido também como cúrcuma, é uma planta originária da Ásia que, além de possuir um sabor marcante e único, vem se destacando por suas propriedades medicinais, graças à curcumina, nome do   pigmento presente nele, que apresenta ações antioxidante e anti-inflamatória.

 Após a assistência técnica do BAHIATER – CEDASB, a agricultora passou a fazer uso de uma cobertura do solo utilizando folhas secas de restos de culturas e percebeu que com essa simples prática houve a diminuição da necessidade de irrigação, além de manter e ampliar a fertilidade do solo, uma vez que essas folhas, ao passarem por um processo natural de decomposição, fornecem os nutrientes para a plantação.

Em visitas técnicas realizadas pelo CEDASB, foi possível constatar que a família de D. Maria utilizou os conhecimentos adquiridos nessa parceria, aplicando corretamente técnicas de plantio e conservação do solo.

No ano de 2017 como de costume, Dona Maria iniciou o plantio do açafrão perto do barreiro, entretanto, percebendo o aumento da demanda pelo produto, o seu filho João Vitor resolveu ampliar a área plantada para os arredores da casa da família. Essa iniciativa rendeu maior lucratividade para o grupo familiar uma vez que essa especiaria, cultivada dentro dos padrões da agroecologia que lhe confere um sabor diferenciado, tem sido bastante aceita no mercado.

Segundo Dona Maria a safra desse ano já foi quase toda vendida, e uma outra parte já está guardada para o próximo plantio. A intenção da família é aumentar a área plantada e acessar novos mercados, propósitos que serão facilmente alcançados tendo em vista os cuidados e a dedicação desses agricultores no trabalho que desenvolvem.

Texto/Imagens –  Milena Mendes / CEDASB

 

ISFA realiza Encontro Territorial e inaugura Feira Agroecológica em Manoel Vitorino-BA

O Instituto de Formação Cidadã São Francisco de Assis – ISFA, realizou nos dias 04 e 05 de outubro de 2017 na sede do Município de Manoel Vitorino, o 1º Encontro Territorial, atividade essa, prevista nos contratos 078/2014 e 065/2014, ambos firmado entre a Secretaria de Desenvolvimento Rural – SDR e o ISFA. O encontro contou com a presença de agricultores/as dos municípios de atuação contemplados com as Tecnologias Sociais de 2º água para produção de alimentos, executado pelo ISFA dentre os quais: Planaltino, Planalto, Maracás, Poções, Boa Nova, Nova Canaã, Iguaí e demais municípios vizinhos que prestigiaram e participaram da atividade como, Bom Jesus da Serra, Vitória da Conquista e Jequié.

Estiveram presentes no encontro, representantes do polo Sindical Regional de Jequié, CEDASB, poder público municipal, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Cooperativa de Produção e Comercialização dos Produtos da Agricultura Familiar do Sudoeste da Bahia (COOPROAF), Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional – CAR e a representante do Governo do Estado, na pessoa Kamilla Santos (Subcoordenação do Programa Água para Todos – PAT). Em sua fala, Kamilla enfatizou as ações do governo estadual que através da respectiva Secretaria, vem fortalecendo diretamente a agricultura familiar, dentre as ações destacou a importância das organizações ligadas à rede ASA, com as estruturas implementadas que são relevantes para a convivência com o semiárido emponderando toda a comunidade rural. “Essas políticas públicas voltadas para a agricultura familiar tiveram um grande avanço nos últimos anos, fazendo com que os agricultores/as, tenham a oportunidade de consumir um alimento saudável e de boa qualidade, exemplo de tudo isso está sendo desenvolvida a criação das feiras agroecológicas nos municípios onde os agricultores e agricultoras tenha um espaço para comercializar o excedente de sua produção e contribuindo também para fortalecer a agricultura familiar”, disse Kamilla.

No segundo dia do Encontro Territorial, 05, foi realizada/inaugurada a Feira Agroecológica. Que contou com a massiva participação de agricultores/as e moradores/as da localidade e região do município de Manoel Vitorino. Tudo produzido e comercializado pelos agricultores/as assistidos/as pelos projetos de 2ª água executados pelo ISFA, cultivados sob os princípios da agroecologia. Foi um verdadeiro sucesso e incentivo para outras comunidades promoverem suas feiras agroecológicas nas diversas regiões, assim como já está previsto. Pois, outras comunidades e municípios, a partir da organização dos agricultores/as em parceria com entidades da sociedade civil organizada e secretarias de agricultura já planejam a realização da Feira Agroecológica em diversos municípios e comunidades da região.

Relatos de alguns beneficiários/as comprovam que as atividades e ações de resistência e convivência com o Semiárido executadas, têm efeitos positivos na vida dos agricultores é o caso do depoimento de dona Maria Rodrigues, “Eu me casei e morando em Planalto criei oito filhos que levei para morar na roça. Recebi minha cisterna de 16 mil litros e era a única água que tinha para consumo. Eu tinha plantado umas abobreiras que eram molhadas com a água de um tanque que pertencia a um vizinho e quando já estava quase produzindo, chegou um homem em minha casa e me pediu para não pegar mais a água no tanque dele, situação que me deixou muito triste, pois meus pés de abóboras iam morrer de sede. Mas o que mim deixou mais triste foi quando a água da minha cisterna ‘de beber’ acabou e passou na porta de casa um carro pipa com o tanque cheio água e eu implorei para deixar pelo menos um tambor de água e o motorista falou que a ordem era não deixar nem uma lata se quer; muito triste com toda a situação já era quase certo, minha saída para morar em outra localidade. Eu sempre pedir a Deus para que eu tivesse o meu próprio Barreiro e minha prece foi atendida. Pouco tempo depois sair para fazer uns exames em Vitória da Conquista e lá recebi um telefonema que tinha chegando umas pessoas para fazer um barreiro em minha propriedade, na mesma hora ajoelhei e agradeci a Deus, rapidamente peguei o carro de volta e chegando em casa, já marcamos o local e meu barreiro foi construído.  Hoje graças a Deus tenho o meu próprio barreiro e não preciso mais me humilhar com ninguém atrás de uma lata de água. E hoje, onde acontecer qualquer encontro com vocês do ISFA, eu estarei lá pra participar e contar minhas experiências”. Contou dona Maria Rodrigues da comunidade Lagoa Nova, Planalto-BA.

Realizações como essa fortalecem cada vez mais a viabilidade e amplitude do processo de convivência e resistência no semiárido. Todos/as envolvidos em prol da construção de uma agricultura familiar sólida e resistente, onde agricultores/as escrevem, contam suas experiências e reescrevem sua história. A caminhada continua e por aqui vamos lutando e labutando rumo a um semiárido justo e fraterno.

Texto e imagens – Comunicação CEDASB e equipe técnica do ISFA

 

ATER Bahia Produtiva do CEDASB realiza Encontros Comunitários em municípios dos Territórios Médio Sudoeste e Sudoeste Baiano

O Centro de Convivência e Desenvolvimento Agroecológico do Sudoeste da Bahia (CEDASB) iniciou suas atividades sendo uma das instituições responsáveis pela execução de ATER dentro do Programa Bahia Produtiva do Governo do Estado em diferentes comunidades dos Territórios Médio Sudoeste e Sudoeste Baiano.

De forma a contribuir de maneira sustentável para o desenvolvimento politico, socioeconômico e ambiental das famílias envolvidas, a equipe técnica do CEDASB passou pelas comunidades realizando o Encontro Comunitário, atividade prevista dentro do Projeto, e tem sido recebida com entusiasmo pelos agricultores/as familiares que fazem parte dos empreendimentos de economia solidária. Esses encontros têm sido de grande importância para trocar informações pertinentes ao andamento do projeto, debate de experiências e expectativas do público presente e planejamento das ações a serem desenvolvidas pela equipe de ATER junto ao subprojeto.

No Médio Sudoeste foram realizados encontros com a comunidade Água Vermelha em Itarantim, onde os agricultores/as serão beneficiados com o viveiro comunitário, bem como a comunidade Timorante, em Nova Canaã, onde o grupo já está em construção dos galinheiros. Os dois empreendimentos contam com a colaboração de um Assistente Comunitário Rural (ACR).  Este jovem tem a função de acompanhar as atividades do Programa Bahia Produtiva na comunidade.  Além dos ACRs é possível contar com a parceria e acompanhamento sistemático do Assistente Territorial, Daniel Piccoli, que muito tem colaborado com as atividades realizadas pelo CEDASB no Médio Sudoeste Baiano.

No Sudoeste Baiano o CEDASB já passou pelo município de Caetanos, na comunidade Estreito, e em Mirante na comunidade Lameiro, ambas estão executando projetos de acesso a mercado da cadeia produtiva de caprinos e ovinos. Em Bom Jesus da Serra, a equipe esteve com o grupo da comunidade Bengo que vai ser beneficiado com a construção de uma casa de farinha, uma estratégia de fortalecimento da cadeia da mandioca, um produto cultivado por eles durante varias gerações. No Encontro Comunitário realizado no dia 19 de setembro no Bengo, podemos contar com a presença do diretor-presidente do CEDASB, Everaldo Rocha Mendonça, morador do município de Bom Jesus da Serra, que aproveitou a oportunidade para fazer uma apresentação sobre a instituição e colaborou nas discussões sobre a execução e andamento do projeto na comunidade.

No dia 06 de setembro foi feito um belíssimo encontro na comunidade Bomba em Belo Campo, a comunidade já esta bem adiantada na construção dos galinheiros e demonstrou grande satisfação em retornar os laços com o CEDASB que já tem a comunidade como grande parceira na sua caminhada para a efetivação das politicas de convivência com o semiárido.

A percepção da equipe, a partir da realização dos Encontros, é de que agricultoras e agricultores estão esperançosos com a chegada do Projeto e seu propício sucesso diante de tantas parcerias que chegam à comunidade concomitante à execução do ATER Bahia Produtiva.

Ainda existem grupos a serem visitados pelo CEDASB para a realização do Encontro, todavia, a equipe técnica está em articulação constante com a Assistente Territorial, Maria do Rosário, para agendamento dessas atividades. Ela tem contribuindo de forma significativa com a articulação e organização dos empreendimentos.

Ao realizar os Encontros Comunitários, a equipe está prezando por trabalhar com temáticas que possibilitem o desenvolvimento da organização produtiva e associativa dos grupos acompanhados pelo ATER Bahia Produtiva, baseado nos princípios da economia solidária e da produção agroecológica.

A busca pela inclusão socioprodutiva desses grupos tem em seu horizonte o empoderamento dos grupos e, consequentemente, a melhoria na qualidade de vida das famílias que tiram seu sustento da agricultura. O papel da equipe é auxiliá-los em sua jornada de realização de sonhos, afinal quando se trabalha junto o grupo ganha força que pode agregar, unir e dar a resistência necessária que impulsiona a realização de conquistas.

O Projeto de ATER é uma ação do Programa Bahia Produtiva do Governo do Estado, através da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional – CAR, empresa pública vinculada a Secretaria de Desenvolvimento Rural – SDR. O Programa é resultado de um acordo de empréstimo firmado entre o Estado da Bahia e o Banco Mundial.

Texto e Imagens – equipe da ATER – Bahia Produtiva

 

Comunidade Água Vermelha – Itarantim

 

Comunidade do Bengo – Bom Jesus da Serra

 

Comunidade do Bomba – Belo Campo

Comunidade Estreito – Caetanos

 

Comunidade Lameiro – Mirante

 

Comunidade Timorante – Nova Canaã