Matérias

Projeto Cisternas nas Escolas realiza formações em GRHE e Oficina em Educação Contextualizada para Convivência com o Semiárido dos municípios de Anagé e Vitória da Conquista – BA

Seguindo a trilha do conhecimento do Projeto Cisternas nas Escolas-CEDASB, foram realizadas na última semana do mês de Agosto 2017 as formações em Gerenciamento de Recursos Hídricos Escolar (GRHE) com a participação de merendeiras, zeladores/as, lideranças das comunidades e agentes comunitários de saúde, e o Iº Módulo em Educação Contextualizada para convivência com o Semiárido com a participação dos professores/as, representantes da direção, auxiliares e coordenações pedagógicas das escolas contempladas com a tecnologia social.

Tanto no GRHE, quanto na Oficina com os professores e demais pessoas que formam a comunidade escolar, o que mais se destacou foi o processo das discussões e debates sobre os diversos temas colocados para a reflexão e debate. “Pra min essa capacitação aqui é algo diferenciado no meu trabalho enquanto merendeira. Está muito mais claro que o projeto vai além da construção da cisterna, mas se preocupa principalmente em valorizar e informar nós, que somos profissionais da merenda”, afirmou Charlene, merendeira na comunidade do Xavier, Vitória da Conquista-BA. Conheceram um pouco do Semiárido, as dificuldades do passado, as mudanças significativas do presente e aquilo que se pensa construir para o futuro. Discutiram sobre alimentação saudável e o processo de produção de alimentos sem o uso de veneno. E qual a importância da merendeira e agentes das comunidades na construção de uma educação contextualizada para convivência com o semiárido? “Se temos consciência de que a escola é da comunidade e do seu povo temos também essa responsabilidade de contribui em todo esse processo de educação a partir da nossa própria realidade. E esse momento aqui é de grande aprendizado e de informação pra cada um de nós”, respondeu seu Vivaldo, porteiro da escola Erasthóstenes do povoado de Iguá.

Com os/as professores/as, os resultados da Oficna não foram diferente. O processo de (des) construção do imaginário fortemente criado de um semiárido miserável possibilitou aos participantes o entendimento dessa região a partir de um outro olhar: REGIÃO DE SINGULARIDADES E DE RARA BELEZA, TENDO COMO O MAIOR DESTAQUE O SEU POVO E SUA RESISTÊNCIA E RESILIÊNCIA. Foram discussões belíssimas alicerçadas em teorias e práticas educacionais bem fundamentadas. Um rico processo de ensinagem (ensino-aprendizagem) onde todos/as nós saímos mais inteligentes, formados e informados, e consequentemente, menos alienados. Parabéns educadoras/es, merendeiras, porteiros, lideranças comunitárias, diretoras/es, coordenações pedagógicas de Anagé e Vitória da Conquista, juntos vocês realizaram um belíssimo trabalho!

E assim, demos mais um grande passo na caminhada do projeto aqui pelos lados de Vit. da Conquista e Anagé. GRHE e Iº módulo realizados com sucesso, em Vitória da Conquista já se iniciou o processo de construção e em Anagé as 05 cisternas já estão construídas.

Texto e imagens – equipe Cisternas nas Escolas – CEDASB

free vector