Matérias

CEDASB promove Encontros Territoriais do Projeto Cisternas e Cisternas nas Escolas

Entre os dias 10 e 11 de dezembro, o CEDASB por meio dos Projetos Cisterna e Cisternas nas Escolas realizou em Vitória da Conquista-BA, EncontrosTerritoriais. Nos eventos o debate sobre políticas públicas, reuso da água, segurança alimentar, educação contextualizada e autonomia foram algumas das temáticas que reuniu além de representantes do poder público de Vitória da Conquista, agricultores e agricultoras, professores e professoras também de Vitória da Conquista, de Belo Campo, Tremedal, Caetanos e Anagé. Geovane Rocha, representante do poder público que participou do Encontro Territorial do Projeto Cisternas, em uma de suas falas afirmou que “os projetos têm ajudado muito as famílias e agora com as cisternas nas escolas ficou ainda melhor”. Geovane ainda salientou que “onde a gente passa vê a felicidade do povo que tem sua cisterna de consumo e de produção e tudo porque há políticas públicas. Esses projetos também garantem a autonomia das famílias que moram nas roças, pois hoje não precisam mais sair de suas casas para poder trabalhar, a terra garante sua subsistência”. Seu Arlindo, agricultor experimentador de Belo Campo, que atentamente escutava cada comentário acrescentou ainda: “depois dessas políticas o pobre passa bem. Tem alface e todos os tipos de verduras na mesa”.

No Encontro organizado pelo Projeto Cisternas nas Escolas, por sua vez, Dona Vera, professora em Belo Campo em momento de discussão sobre educação contextualizada, defendeu que “com a chegada das cisternas nas escolas a qualidade das aulas é outra. Agora os alunos não correm mais o risco de ficar sem a merenda, pois as merendeiras não se aventuram ir a longas distâncias buscar lata d’água nas cabeças. Além disso, com a cisterna a comunidade tem participado mais ativamente do espaço escolar”.

Tanto no encontro promovido pelo Projeto Cisternas, quanto no encontro promovido pelo Projeto Cisternas nas Escolas, as discussões giraram em torno da luta pela dignidade. E esta é de todos que moram no semiárido, independente da raça, poder econômico ou atividade que desempenhe. Assim, é possível perceber que os desejos comuns a agricultores (as), professores (as), não estão distantes. Mais que isso, tais encontros servem para o fortalecimento dos ideais que construídos dia-a-dia são, nesses momentos de capacitação, ressignificados e fortalecidos coletivamente.

Por: Equipe de Comunicação CEDASB & ISFA

DSCN0865DSCN0711DSCN0696DSCN0719

free vector