Matérias

Intercâmbio Intermunicipal e Inauguração da “Casa de Sementes dos Sonhos” na comunidade de Bom Jesus de Cima

Vindos/as de todos os cantos e lugares onde o Projeto Sementes do Semiárido/CEDASB atua, chegavam agricultores/as guardiões, animadores, monitoras e líderes de comunidades vizinhas e de outras regiões. Chegavam como que viera para uma Romaria das Sementes Crioulas, cujo lugar do encontro foi na Comunidade de Bom Jesus de Cima no município de Bom Jesus da Serra-Bahia nos dias 19 e 20 Maio 2016. Representações das 12 regiões onde o projeto atua: Maracás, Cândido Sales, Manoel Vitorino, Mirante, Planalto, Caetanos, Vitória da Conquista, Poções, Bom Jesus da Serra e Belo Campo, Anagé e Mirante. Produzir e compartilhar conhecimento no Intercambio Intermunicipal e inaugurar a primeira Casa de Sementes do Projeto executado pelo CEDASB foram as duas grandes motivações que reuniram esses/as agricultores/as das diversas comunidades por onde o Sementes do Semiárido/CEDASB está atuando.

Na mística de abertura a pergunta norteadora questionou os/as agricultores/as no silêncio do coração e ao som da natureza: O QUE VOCÊS TROUXERAM PARA ESSE INTERCÂMBIO?! Muitas foram as respostas, respondidas em um tom firme e com palavras certeiras: “EU TROUXE MINHA SEMENTE”(Cosme/Bom Jesus de Cima), “EU TROUXE O MEU CONHECIMENTO” (João Baeta/Capim de cheiro), “EU TROUXE O GRITO DE RESISTÊNCIA CONTRA AS SEMENTES COM VENENO” (Erisvalda/Quilombo de Mumbuca), “EU TROUXE A FORÇA E A LUTA DAS MULHERES” (Ailta/Bom Jesus de Cima)” e “EU TRAGO AQUI A FORÇA E A FÉ” (Laís/Maracás).

Assim iniciou-se o primeiro dia de atividade, com os/as agricultores e agricultoras visitando e trocando experiência na belíssima horta de dona Jessí, agricultora da localidade. Que acolheu a todos/as com muita alegria e satisfação: “aqui é conversa de agricultor/a pra agricultor/a, o importante é saber e colocar em comum nossos conhecimentos”, afirmou dona Jessí em sua fala. Logo após o bate papo entre os/as agricultores/as na horta, estes retornaram para o salão e partilharam de forma coletiva àquilo que mais chamou atenção durante o momento de intercambio na horta de dona Jessí. “Aquele momento na horta foi uma verdadeira aula de campo, em que não teve um professor, mas todos ali puderam aprender e ensinar uns aos outros”, afirma seu Ananias da comunidade Amargoso.

A Mesa da alimentação reúne as pessoas em seu entorno e elementos de fraternidade, comunhão e partilha. Além desses elementos, a mesa do almoço reuniu todos os presentes em torno de uma mesa farta de alimentos sadios. Que foram colhidos e oferecidos pelos lavradores e lavradoras da comunidade local, tudo produzido e colhido ali mesmo partilhados com muito amor e fraternidade.

Após o almoço todos os/as agricultores/as seguiram para um dos momentos mais esperados da caminhada do projeto: a solene inauguração da primeira Casa de Sementes Crioulas Comunitária do Projeto Sementes do Semiárido/CEDASB. Carinhosamente nominada pelos guardiões locais de Casa de Sementes dos Sonhos. A inauguração começou com uma breve celebração mística, que chamou atenção para a semente, como princípio místico de vida e de fartura. No silêncio do ambiente, marcado pelo por do Sol e ao som da batida de um velho pilão, agricultoras recitavam trechos de cordéis e dizeres poéticos que falavam das sementes que geram vida. E enquanto seguia a profunda batida do pilão, crianças semeavam entre os participantes, sementes puras ao som da proclamação da passagem bíblica do agricultor que saiu para semear. Ao final da mística foi rezada uma oração de bênção e uma cantiga que recordou a luta e a caminhada dos/as lavradores/as e seu amor para com as “Sementes da Verdade”. E ao ritmo dessa mesma cantiga, seguiu-se uma procissão das Sementes Crioulas com os agricultores/as carregando suas sementes, instrumentos da lida com a terra e objetos antigos que recordavam os costumes e tradições dos lavradores/as em direção à Casa de Sementes dos Sonhos, onde adentraram e abençoaram a primeira casa comunitária de Sementes. A festança seguiu noite adentro com uma animada noite cultural, que relembrou as danças e cantorias do sertão, onde todos/as participaram com danças e cantigas próprias de cada região ali representada.

No segundo dia aconteceu a apresentação detalhada do Banco de Sementes dos Sonhos. Seu Francisco, ou simplesmente seu “Tico” como é mais conhecido, mostrou aos agricultores/as visitantes cada parte da Casa, destacando a importância do trabalho em conjunto e da participação ativa dos de todos/as os/as envolvidos/as, principalmente os/as guardiões/ãs. Aconteceu também a troca/intercâmbio e comercialização de sementes da Casa dos Sonhos entre os/as agricultores/as, sementes extintas em determinadas regiões que foram resgatadas e reintroduzidas na cultura de cultivo das diversas comunidades envolvidas. Para encerrar o segundo dia do intercambio intermunicipal foi realizado o teste de transgenia com a semente do milho supostamente crioulo cultivada por seu “Tico”. E num clima de tensão e ansiedade confirmou-se a pureza da semente do milho estrada de ferro: genuinamente crioulo e livre de contaminação. Foi uma alegria só entre os agricultores, principalmente da parte de seu “Tico”, que em tom de orgulhou exclamou: “já acreditava em minha semente, e agora então com esse teste, tá confirmado: é pura é crioula, num tem veneno”.

E nesse clima de alegria, e já de saudade entre os/as agricultores/as o intercâmbio foi finalizado com uma mística e uma oração. Onde todos e todas assumiram o compromisso de ser a Semente da Vida que irá se multiplicar e produzir bons frutos em suas respectivas comunidades.

Núcleo de Comunicação CEDASB

IMG_6738 IMG_6739 IMG_6756 IMG_6800 IMG_6802 IMG_6825 IMG_6838 IMG_6852 IMG_6865 IMG_6952 IMG_6973 IMG_6974 IMG_6978 IMG_6981 IMG_7003 IMG_7005 IMG_7006 IMG_7012 IMG_7021 IMG_7023 IMG_7028 IMG_7037 IMG_7041 IMG_7042 IMG_7043 IMG_7045 IMG_7047 IMG_7060 IMG_7064 IMG_7067 IMG_7077 IMG_7081 IMG_7092

free vector