Matérias

Com a ‘mão na massa’, dona Adélia muda o rumo de vida e se torna protagonista da história de sua família.

Dona Adélia Prates  é uma agricultora que vem se destacado com a produção de biscoitos caseiros na comunidade Olho D’água da Serra, localizada no Distrito de Bate pé- Vitória da Conquista – Bahia. Com muita determinação e força de coragem, ela e sua família trabalham em plena sintonia, com o objetivo de buscar melhores condições de vida no sertão onde vivem. “Comecei com 3kg de goma e hoje já estamos desmanchando 1 saco por semana e atendendo a comunidade e região. Eu faço os biscoitos e Nel sai entregando de porta em porta, aqui a família trabalha em conjunto…” conta dona Adélia referindo ao inicio de todo trabalho.

Dona Adélia destaca que as reuniões do CEDASB através do projeto de ATER (BAHIATER) foram o ponto de partida e motivação/incentivo para começar a comercializar sua produção de biscoitos na comunidade local, que até então eram vendidos principalmente no tempo do São João (mês de Junho). O que é mais bacana nessa história, é que todo esse trabalho é feito em parceria com o seu esposo Manoel Alves de Brito Filho, mais conhecido como “Nel”, que durante o dia cuida da lavoura e dos animais da propriedade, e ao cair da tarde coloca a produção em uma caixa adaptada na moto e sai vendendo na comunidade e regiões circunvizinhas. “Hoje já temos mais um forno, que nosso filho que tá em São Paulo mandou o dinheiro pra gente comprar. Além dos biscoitos, Adélia já faz bolo e chimango e eu saio de casa em casa entregando, as pessoas escutam a buzina e já sabem que estou chegando”, contou Nel todo satisfeito com essa prática que já está virando costumeira em toda localidade do Olho D’água, e até e na cidade de Vitória da Conquista. Pois, a produção de biscoitos de dona Adélia e Nel já está sendo comercializada na feira de orgânicos do NUPEBEM (Núcleo de Permacultura do Bem), que acontece todos os domingos na praça da Escola Normal. Graças a essa parceria muitos/as conquistenses puderam apreciar essa iguaria e compartilhar da saborosa experiência resultante desse trabalho familiar.

Essa iniciativa serve como incentivo para outras famílias dentro da comunidade colocando literalmente a mão na massa e demonstrando na prática, que é possível melhorar as condições de vida, e também ajudar a sustentar a família a partir de ações como essa de dona Adélia e sua família. “Espero que mais pessoas como eu consiga tirar seu sustento sem precisar sair de casa e fazendo o que gosta, já estamos pensando em contratar mais uma pessoa para ajudar na produção”, finalizou dona Adélia, toda contente, com um sorriso no rosto e um brilho no olhar.

Matéria e Imagens –  Milena, Técnica da ATER/BAHIATER – CEDASB.

free vector