Matérias

Dona Erací, Dênis e Rayane, a ATER e as abelhas: uma combinação que está dando bons resultados

Dentre as agricultoras que assisto pelo projeto de ATER do Cedasb gostaria de relatar um pouco, da bonita experiência de dona Erací e sua família com a lida das abelhas sem ferrão. Ela é agricultora experimentadora da comunidade de Água Branca no município de Cordeiros-BA. E está se destacando no cultivo da terra e principalmente com a criação de abelhas sem ferrão.

Dona Erací já labutava com alguns pequenos enxames de abelhas, mas como ela própria diz: “a gente já mexia com as abelhas, mas de forma crua e sem saber direito como lidar com esses enxames de forma correta e sem agredir”. E é aqui que entra a ATER do Cedasb, com o apoio e o incentivo para que dona Erací participasse de um curso de melipolinocultura realizado em Vit. da Conquista, uma realização da ATER (Bahiater) do Cedasb. Ela foi, participou e voltou pra sua propriedade muito animada e cheia de novas ideias, a partir das experiências trocadas durante o curso. Hoje ela já tem 13 enxames de abelhas sem ferrão e várias iscas espalhadas por toda sua propriedade, que aprendeu fazer no curso utilizando garrafa pet.

Interessante dizer que Dona Erací quis envolver seus filhos, Rayane e Dênis em todo o processo de lida com as abelhas. Ensinando/repassando todo o conhecimento nato e adquirido durante o curso sobre a lida com as abelhas sem ferrão. Hoje Dênis e Rayane já ajudam na confecção das caixinhas colmeias que servem para arranchar as abelhas da espécie Jataí. Segundo Dênis, a confecção das caixas é um serviço trabalhoso, mas muito prazeroso e gratificante. Ajudam também, no plantio e cultivo de flores que servem para a coleta do néctar usado na produção mel e na fabricação das iscas de captura das abelhas. Todo mundo sabe fazer de tudo um pouco e quem ganha é a natureza, dona Erací e toda sua família.

Com a vivência de toda essa bonita experiência, dona Erací aprendeu a preservar o meio ambiente evitando o desmatamento e as queimadas desnecessárias, preservando a fauna e a flora. Além de gerar renda pra toda a familiar a partir dessa experiência que está dando certo.

Dona Erací e sua família são exemplo de dedicação, coragem e muita força de vontade. Ela expressa e acredita, que essa prática da criação das abelhas e o cultivo da terra é um forte motivo que promove a permanência dos seus filhos no campo, perto dela e sem perder esse ânimo de cultivara terra e labutar com as abelhas. Agroecologia é a vida da terra e das águas, das matas e as abelhas, dos homens, e principalmente de mulheres como Dona Erací!

Texto/Imagens –  Maria DuCarmo/ATER (Bahiater) – CEDASB

free vector