Matérias

Sementes do Semiárido: Comunidade de Bom Jesus de Cima recebe intercâmbio de agricultores/as do Semiárido mineiro

 

 Terça feira da semana passada (24/05), a Comunidade de Bom Jesus de Cima no município de Bom Jesus da Serra-BA recebeu mais uma caravana de agricultores e agricultoras, vindos/as das regiões do norte de Minas dos municípios de Montes Claros (CAA-Centro de Agricultura Alternativa/MG) e Araçuaí (Cáritas/MG). Os/as Agricultores/as vieram com o objetivo de intercambiar conhecimento e conhecer as experiências da comunidade local com o cultivo e estocagem de Sementes Crioulas.

Esse intercâmbio, ‘Bahia-Minas’ tem toda uma história especial que demonstra na prática o valor e a importância dos agricultores e agricultoras do nosso Semiárido, em serem os protagonistas de sua própria história, assim como agentes transformadores em suas comunidades de origem. Veremos mais adiante, de forma direta o porquê dessa forte ligação e correlação entre o Banco de Sementes dos Sonhos da comunidade de Bom Jesus de Cima e o povo do semiárido mineiro.

Após a chegada e acolhimento dos/as agricultores/as chegantes, a primeira atividade do dia foi visitar à belíssima e “farturenta” horta de Jessí, onde os/as agricultores/as visitantes puderam “proziar” e trocar conhecimentos sobre a diversidade de hortaliças, verduras, plantas medicinais e ornamentais cultivadas em uma pequena área da propriedade de dona Jessí. E a proza foi de grande proveito, gente que se encantou com a diversidade de plantas cultivadas em um mesmo espaço, reencontro e resgate de ervas medicinais, que até então se perdera em diversas comunidades das regiões mineiras. Plantas ornamentais com diferentes nomes e expressões características de acordo à realidade e região de cada agricultor/as, e assim cada um/a expressou seu conhecimento e seu encantamento frente à diversidade contemplada na experiência ali visitada. Experiência essa, que Jessí fez questão de destacar: “boa parte de toda essa produção que vocês estão vendo aqui, terá como destino o armazenamento no nosso Banco Comunitário de Sementes. E cada lavrador aqui da comunidade sabe desse compromisso: é preciso separar parte da produção com a finalidade de guardar as sementes…”.

Na parte da tarde os/as agricultores/as se deslocaram para conhecer a Casa de Sementes dos Sonhos que fica na propriedade de seu Francisco, ou seu “Tico”, como é popularmente conhecido em toda a região. E lá seu Tico fez questão de coordenar e conduzir todo o momento, apresentando e explicando detalhadamente como toda essa bonita experiência com as Sementes crioulas começou. É aqui que está a intensa relação entre o Banco de Sementes da comunidade de Bom Jesus de Cima com o povo mineiro, pois no ano de 2012, dona Jessí foi designada a participar de um intercâmbio do P1+2 na região de Araçuaí/MG, e nesse mesmo intercâmbio ela conheceu uma Casa de Sementes e de lá trouxe algumas pequenas sementes, incluindo a ideia de poder implantar uma casa de sementes em sua comunidade.  “A Boa Semente” foi plantada e hoje, quatro anos depois, parte do mesmo povo que recebeu dona Jessí nas terras semiáridas do estado de minas vieram ver e conhecer o “fruto” colhido, resultado da pequena sementes trazida e plantada nas terras sertanejas da comunidade de Bom Jesus de Cima: a Casa de Sementes dos Sonhos.

Ao convite fraterno de seu “Tico”, em nome dos/as guardiões/as do Banco de Sementes dos Sonhos, os/as agricultores/as chegantes adentraram à casa de sementes e puderam conhecer e trocar conhecimento e sementes foi conversa de quem entendem da labuta e da importância de se ter uma semente pura e sem veneno. Na oportunidade foi lançado e entregue oficialmente o Boletim informativo “O Candeeiro”, que trouxe nessa edição o destaque para a importância dos mutirões para a construção dos Bancos de Sementes na região de Boa Nova e de Bom Jesus da Serra, de forma especial os diversos mutirões que ajudaram na construção da Casa de Sementes dos Sonhos.

Da parte dos/as agricultores/as guardiões da comunidade de Bom Jesus de Cima ficou o relato e o testemunho de que a semente da fartura é a mesma semente da esperança e da união, que germina e produz bons frutos que nos alimentam e nos dá vida. Da parte dos/as agricultores/as visitantes deixaram seu conhecimento e retornaram com a certeza da responsabilidade e missão de cada um e de todas as comunidades envolvidas, em cultivar esse sentimento de pertença e da contínua necessidade de caminharem juntos e numa mesma direção.

Texto e imagens: Núcleo de Comunicação Popular do CEDASB

DSCN0001 DSCN0002 DSCN0006 DSCN0009 DSCN0011 DSCN0012 DSCN0015 DSCN0020 DSCN0021 DSCN0024 DSCN0041 DSCN0044 DSCN0051 DSCN0072 DSCN0083 DSCN0076 DSCN0077 DSCN0081 DSCN0095 DSCN0099 DSCN0086 DSCN0094 DSCN0104 DSCN0113 DSCN0121 DSCN0108 DSCN0164 DSCN0129 DSCN0123 DSCN0130 DSCN0154

free vector