OOO abril | 2016 | Cedasb

Guardiãs e guardiões das sementes tradicionais crioulas participam da capacitação em estocagem de sementes

“As sementes, como a CASA DE SEMENTES é e será sempre lugar de resgatar histórias e também lugar de contar histórias”. Essa afirmação que escutamos e que é uma beleza veio de uma das Guardiãs da casa de sementes da comunidade Poço da Pedra, região de Manoel Vitorino/BA.

Entre tantas escutas e conversações com os agricultores e agricultoras, os legítimos guardiões e as guardiãs, a comunidade tem discutido sobre o processo de formação da casa de sementes e na sua estocagem. A capacitação que aconteceu nos dias 27 e 28 de abril faz parte do Projeto Sementes do Semiárido e tem como objetivo a formação das comunidades e das guardiãs e guardiões das sementes tradicionais crioulas na convivência com o semiárido.

Por isso, resgatar é uma das palavras que mais se ouviram dentro das capacitações; resgatar sementes que estão perdidas para o fortalecimento da segurança alimentar das comunidades e não ficar refém de sementes contaminadas (as transgênicas). Tal ação auxilia no resgate à cultura das comunidades, às suas várias formas de celebrar suas festas (contexto histórico cultural), resgatar as pessoas no processo de construção comunitária (os mutirões), resgate histórico da vida do povo e seu contexto social na vida da comunidade (resgatar a história). Tudo isso gira em torno da casa de sementes que tem esse objetivo e que, além de levar formação e o espaço físico da casa, traz também a proposta de comunhão e coletividade de luta da vida dos nossos agricultores, agricultoras, guardiãs e os guardiões das nossas sementes no semiárido.

Ao final do encontro a comunidade escolheu por meio de votação o nome do banco de sementes que intitulado como Criô-melhor refere-se à semente crioula, sua qualidade de adaptação ao semiárido. O projeto Sementes do Semiárido é gestado pelo CEDASB/ASA.

Por Equipe de Comunicação CEDASB

DSCN5767DSCN5788 DSCN5775

DSCN5815 DSCN5829 DSCN5836DSCN5885 DSCN5897 DSCN5898DSCN5912 DSCN5914 DSCN5915

Capacitação em Estocagem de Sementes

As sementes que jogamos no chão são geradoras de vidas, quando cantamos que, “a semente é vida”, não estamos falando de coisas que dificultam o raciocínio humano. Todos sabem da função das sementes, a importância delas para uma comunidade que tem nas suas sementes uma forma de permanência, de manter o futuro.

Temos inimigo, quem são esses inimigos? Uma ameaça à soberania das sementes DA VIDA, DO AMOR, DA ESPERANÇA, DA PAIXÃO, DOS AVÓS, DA RESISTÊNCIA! “Os semeadores saíram todos para semearem e jogaram suas sementes em terra boa, estas cresceram e deram muitos frutos”. Foi com essa mística que demos inicio nos dias 07 e 08 de Abril, na comunidade de Lagoa Grande em Cândido Sales/ BA, a capacitação em gestão de estoques nos bancos/casas comunitários de sementes do projeto SEMENTES DO SEMIÁRIDO, projeto que é gestado pelo CEDASB/ASA.

A capacitação tem como prioridade e objetivo discutir o processo de formação do banco/casa de sementes e estocagem, garantindo que tenhamos sementes adaptadas com o clima, convivência com o semiárido e que gere segurança alimentar. Nos dois dias de capacitação a comunidade pode debater as várias formas de guardar as sementes, o contexto social e cultural da comunidade, politicas de acesso às sementes tradicionais/crioulas, vídeos sobre as experiências de agricultores/agricultoras, guardiãs/guardiões, das sementes, momento lúdico/dinâmico trabalhando os valores individuais e coletivos, seus objetivos, sonhos em comunhão trazendo a mística da solidariedade, resgate da variedade de sementes que a comunidade tem perdido nos últimos tempos e a forma como a comunidade, através do banco/casa de sementes, irá trabalhar o processo de resgate.

Ao final da capacitação a comunidade escolheu o nome do banco/casa de sementes. FLOR DO SERTÃO foi o nome escolhido pela comunidade, fazendo referências à beleza das flores do nosso sertão que fica mais lindo quando as “chuvaradas” caem.

Por Equipe de comunicação CEDASB

IMG_0009 IMG_0045IMG_0050 IMG_9835IMG_9842 IMG_9907IMG_9929 IMG_9959 IMG_9968 IMG_9989

CEDASB participa da 2ª Conferência Estadual de ATER

Acontece entre os dias 06, 07 e 08 de Abril 2016, sediada em Salvador BA, a 2ª Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural, que traz como temática central, a “ATER na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária, Agroecologia e alimentos saudáveis”. Representações do CEDASB, juntamente com outras representações de entidades da sociedade civil organizada executoras de ATER, agricultores/as familiares, assentados da reforma agrária, camponeses/as, pescadores/as, povos indígenas, quilombolas, povos de comunidades tradicionais, representações do poder público participam da Conferência, tendo em vista o debate e reestruturação de propostas para   a 2ª Conferência Nacional.

Três eixos temáticos estão sendo debatidos pelos participantes: Sistema Nacional de ATER; ATER e Políticas Públicas para a Agricultura Familiar; Formação e construção do conhecimento na ATER. E três eixos transversais: ATER para mulheres rurais, Ater para Jovens rurais e ATER para povos e comunidades tradicionais. São pilares fundamentais que baseiam as discussões e motivam a escolha de propostas para serem apresentadas na conferência Nacional.

Além das representações oficialmente delegadas, o CEDASB contribui também, na animação da conferência, com a Banda “Remela de Gato”. Que através das folias e cantorias regionais e genuinamente nordestinas resgatam a cultura musical, que retratam o dia a dia de nossos/as agricultores/as.

Comunicação Cedasb.

daebaf34-a131-43c8-9b5a-6703a6d2af1d d4cddc10-e227-47af-bb89-946aadcb00b0 ab2c85d7-b169-48ec-ae55-bb84817551df a665f0e4-a814-4ad4-8ead-617853057f7c 54d003a7-4085-4c01-ad13-b3cade4e67e6 6adb9a74-c705-4e7b-b7f9-1b519aec140c